Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rapariga com Sol

" Há pessoas que transformam o Sol numa mancha amarela, mas há aquelas pessoas que fazem de uma simples mancha amarela o próprio Sol " Pablo Picasso

Rapariga com Sol

" Há pessoas que transformam o Sol numa mancha amarela, mas há aquelas pessoas que fazem de uma simples mancha amarela o próprio Sol " Pablo Picasso

29.11.16

Só Por Ti, Tiago.


Margarida

Sei Tiago, muita da estupidez que me oprime e deprime, é obra da minha impaciência, sei Tiago que me ralhas com razão.

Porque me olho ao espelho e logo me vou e me esqueço como era, sou esquecediça que queres, tropeço todos os dias no tal ponto mas não na misericórdia, até parece que não, mas  acudo com misericórdia aqueles a quem o teu Deus quis separar para a pobreza deste mundo, dando-lhes em troca de roupa quente, pão e glória, a fé na hipótese de herdar um reino. Pois Tiago, bem o dizes; de que serve a fé sem as obras....por isso Tiago, refilo, sou o raio de uma refilona, que acode com misericórdia refilando improperios e aqui-del-reis.

E, já agora, te pergunto:  De que nos serve a herança se temos fome e frio, se o hoje não chega ao amanhã mesmo que com misericórdia busque todas as medicinas, de todas as dores, e o espanto venha e o reino se acabe. Há Tiago! tal como os demónios, eu também creio e estremeço, estremeço tanto que as vezes a casa cai, mas breve me lembro de Ti e se estou aflita oro, e se estou alegre canto, mas olha sem que te ofendas, neste tempo, Sec XXI, o azeite e a oração dos tais, já não é o que era, porque todos se corromperam  o azeite está adulterado e Deus ronda pelos jardins sem encontrar viva-alma porque as flores murcharam à sede de alimento, porque o reino é ilusório e Deus fala em hebraico e não o entendo na minha impaciência.

Só fica o meu amor por Ti, Tiago, tem dó desta que te ama.

 

 

27.11.16

Desperta Cuba !


Margarida

Hay um camino que nace con tu imagem

Al que es muy fácil llegar

Sólo es preciso el brillo de tus ojos

Para encontrar un alma

Lo que no resisto es la consciencia

Es la abuela que regula el mundo

Dime nena ya: Es este outro mundo?

Es este un sueño que pasa por nosotros

Es la vereda de los descalzos

Espera espera

Yo siempre te espero anidado en una mano

 

Lo que nos ocupa es esta abuela

La consciencia que regula el mundo

Dime nena ya como estás dispierta

Pero nena igual no elijas llorar

 

Cancion de Spinetta

 

 

 

26.11.16

Ah o Natal !


Margarida

Agora o tempo é de trabalho dobrado, quase sempre é, mas trata-se de tentar a todo o custo e muitas horas extraordinárias,  que um velhinho Natal, quase esquecido, renasça nas palhinhas de um presépio feito o mais possível com amor.

Hoje é dia de montar a Árvore de Natal, e temos de fazer isto com alegria e fé, logo à tarde vamos escrever cartas com desejos, não ao Pai Natal, porque Eles já não acreditam, mas ao Menino, aquele menino que fomos e ainda somos no coração que bate ao compasso do Universo.

 

 

 

22.11.16

Um Destaque é Destaque !


Margarida

Hoje, ao fim da tarde, abri o mail, e espanto meu, espanto meu, tenho um (mail) do Blogues de Portugal a avisar-me que ontem ou ante-ontem, já nem sei, o blogue da rapariga aqui presente foi destaque.

Há quem admire imenso pequenas honras, outros admiram Cristinas e Gouchas da má vida e há ainda aqueles que acham uma piada a D. Dolores a fingir de estrela qual Irina.

Eu admiro comentadores políticos, fico sempre aparvalhada, boca aberta, porque de politiquice não percebo nada mas para além dos tiques nervosos que lhes observo, o resto, a léria é espantosa e não leva a nada, embora a Presidência da Republica conte. 

Deu-se-me o mesmo com o aviso dos BP, fiquei aparvalhada, mesmo que a gramática fique no lápis e os verbos não regulem, senhores, vale a pena escrever , nem que seja para subir no ranking  e ficar numa posição muito conviniente de seis mil novecentos e noventa e um.

O que este "um" me lixa, nem imaginais!

 

 

 

 

18.11.16

DNA=Adenina,Guanina,Citosina e Treta


Margarida

A câmara focada em mim, eu pequena estrela de treta focada na câmara.

" A gravar....Acção"

Enquanto espero a palavra mágica que me fará olhar para a esquerda, olho para dentro intranquila de mim

Que faço aqui senhor? onde me leva a loucura do círculo que se volta a unir, qual ouroboros de uma vida enrascada pela "acção"?

Projectores ligados, câmara em cima do meu rosto. Espero a palavra mágica.

Custe o que custar, vou entrar triunfalmente, não foi sempre assim?

As mentiras que só o coração conhece.

 

 

15.11.16

As Cecílias Aluadas


Margarida

A primeira vez que entrei no K ouvi a "Cecília" falar da Lua, arrebitei as orelhas e o azedume quando ouvi : "tanto falatório (ou coisa similar) sobre a Lua, a Lua é um planeta morto". Tá bem, eu sei que é, mas não podias dizer isso de outra maneira? oh santa do alguidar de baixo? fiquei lixada com a Cecília até ao fim de todas as Luas, todos os ciclos lunares e aparentes mistérios.

Por alguma razão este blog se chama rapariga com sol, "quentinho" rapariga com lua, seria gélido e daria sugestão a pensarem que sou dada a impulsos psicológicos primários.  

Então e não é que os tenho! ás carradas, ou não tivesse eu a Lua domiciliada (?) coisas que acontecem! O que me vale neste confronto luzeiro, é que apesar de (no céu) o disco da Lua parecer do mesmo tamanho que o do Sol, é muito menor, agora, que ela nos agarra! e se não caímos galáxia fora temos de lhe agradecer, é um facto.

Outro facto é, quando a gaja se aproxima muito e toda a gente fica passada dos cornos, os meus estrelinhas ficam menos estrelas e mais f.d.p. malucos que me põem os nervos em franja, muita mulher  engravida, (a maioria daqui por oito semanas vai arrepender-se) e muito homem fornica fora do penico.

E vem a outra dizer que "está morta", morra ela pim pam pum!

 

 

 

 

13.11.16

Beautiful Day


Margarida

Atravesso o jardim e empurro a porta, lá dentro cheira-me a velhos. A velhice mal lavada é difícil de suportar, volto a sair. Deveria fumar um cigarro e respirar fundo mas não fumo à trinta e cinco anos e hoje não me apetece respirar, só o mínimo indispensável. Vou ter de voltar, alinhar as seringas e os frascos, separar comprimidos, tratar das feridas dos corpos, aceitar as da alma e pôr as p**** das auxiliares a dar banho a esta malta velha e podre.

Há dias em que por mais lenha que junte não ateia não arde nem aquece. É aí que tenho de sorver o ar, muito, para o vomitar sobre alguém.

 

 

 

 

11.11.16

Pontes e Passadiços


Margarida

 

Certo e sabido, quando passo algumas horas a ver passar a paisagem, paço-me.

Hoje é sexta, vou jogar no euro-milhões, para quê estúpida? a vida já te deu o que tinha guardado para ti desde o principio, agora vai dando aos poucos o que resta, e é pouco o que resta, as respostas estão dadas.

Ah! morreu o Cohen! Tinha mais, muito mais que fazer do que ficar à espera.

Céu cinzento este  que vejo passar, toda a gente a falar ao telemóvel, eu em silêncio a pensar que mais ninguém o reconhece. Morre serenamente e em paz, quem soube viver os silêncios em vida, estes cabrões que não se calam vão morrer numa aflição do caraças, não sabem deprimir, morrer um pouco com os que morrem.

Eu ouço a voz, o chapéu a voar no céu cinzento, o espírito do canto e aquele virar do arco-íris na próxima curva para norte.

 

 

10.11.16

Notícias da América


Margarida

Ah não, não vou na onda. Fico-me pela periferia.

A Mónica desceu o elevador e arremesou o gato para as moitas. Vá lá ! estivesse ela em dia mau, arremessava-o do décimo segundo andar.

Eu sempre me recusei a ter um gato, no entanto, ando sempre a carpir mágoa por não ter um cão e a vida segue ao minuto, segundo a crónica de cada um.

 

Isso é que é isso ou não fosse outra coisa.

 

Outra coisa é; Se tenho cuidado para não cair no buraco, menos tenho quanto ás Twinkle Twinkle Little Star! 

E se tenho algo a ver com algo é compreender o Gabriel, umas vezes Arcanjo outras vezes morte.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

08.11.16

Quanto de Ti


Margarida

E lá vens com as tuas recordações, espiolhadas pelos cantos, lembrar-me o que não quero, não quero.

E como é que se faz para retroceder? rasurar as pequenas humilhações, recuperar o esforço e as lágrimas à mistura com duas doses de Gin num copo de plástico estampado com malmequeres. 

Sabes tu o que chorei quando soube que há mulheres que amam até ao fim, até ao último momento, derradeiro suspiro, e como me sinto humilhada por estar viva e não saber como resolver este tétrico sentimento?

 

 

 

 

 

Pág. 1/2